TORBEN GRAEL

O encontro com Torben está marcado logo após a entrevista com Jackie Silva. Saímos da casa dela e vamos direto para Niterói. Um contraste interessante. Dois campeões, membros da elite mundial da modalidade que resolveram praticar. Jacqueline gosta de conversar e refletir sobre os acontecimentos da vida em voz alta. Torben diz, modestamente, que não é muito bom com as palavras. Tem fama de calado.
Ambos têm muita propriedade pra falar sobre esporte.

Dia ensolarado, véspera de Carnaval no Rio de Janeiro.
Chegamos ao Projeto Grael no final da tarde. Daqueles lugares que não dá vontade de ir embora.
Torben chega pouco depois, enquanto escolhemos o local da entrevista. A água, naturalmente, fará parte do cenário.
Meio de canto, tranquilamente, começamos a conversar sobre filhos e filhas. Assuntos em comum sempre ajudam o papo engatar. Eu, prestes a comemorar a chegada da minha segunda filha, e Torben, orgulhoso, cresce ao falar das conquistas da filha e do prêmio que ela recebeu recentemente de melhor velejadora do mundo. Prêmio que o próprio Torben já tinha conquistado. Mas pais são todos iguais – sentem muito mais prazer em falar das filhas do que de si mesmos, até os campeões olímpicos.

Pergunto a ele se incomodaria fazer a entrevista no sol, protegidos pelo butterfly. Torben dá um leve sorriso, indicando que os olhos claros e a pele estão acostumados ao sol, ainda mais à luz daquele lugar.

Durante a entrevista, as respostas de Torben são claras, curtas e objetivas.
Dá risada quando eu digo que ele parece calmo e diz “calmo, fora da água… lá dentro a coisa é outra”.
É difícil explicar, mas o cara tem uma mistura equilibrada entre a leveza e a força bruta. Numa análise de psicólogo fajuto que sou, acho que é coisa de gente que se dá mais com a água do que com a terra firme.

No final do papo, dá uma guinada certeira ao eleger o maior momento que viu o esporte viver. Foi na mosca, cirúrgico. Muitos escolhem um jogo, uma competição; Torben escolhe praticamente um centésimo de segundo do esporte.
Fala sobre Nelson Piquet, outro cara bom nesta coisa de ser claro e objetivo.
Meio poético, sem ser bom com as palavras.

TORBEN GRAEL